Pimenta-Cultural_Recife-mundo.jpg
“Do Recife para o mundo”: os significados do (brega)
funk pernambucano

Autora: Jaciara Gomes

Pega a visão: “’Do Recife para o mundo’: significados do (brega) funk pernambucano” é o título da obra da linguista Jaciara Gomes. A proposta é ir além das premissas baseadas em sexualidade e violência, já muito debatida quando o assunto é funk. Nesse sentido, a autora vai aprofundando ainda mais o debate sobre o funk pernambucano enquanto se debruça a responder inquietantes perguntas, como: “Que significados são desvelados no funk?” e “Como estes significados são construídos?”. E Jaciara manda logo o papo: “o funk não se furta a promover reflexividade e [...] resulta de um processo de hibridização cultural bastante intenso, em que os atores sociais, normalmente, se comprometem com o dito, seja para estabelecer, manter ou resistir a situações de dominação.” Então, se você está procurando uma análise sobre a gênese do que hoje conhecemos como brega funk, “Do Recife para o mundo” é leitura OBRIGATÓRIA!

 

Profª Juliana Bragança

Pesquisadora do funk

Mestra em História pelo PPHR/UFRRJ

ISBN:

978-65-5939-323-7 (brochura)
978-65-5939-321-3 (eBook)

DOI: 10.31560/pimentacultural/2021.213

Download gratuito da obra:

Pimenta Cultural - Google Books - Academia.edu

Capítulos

Apresentação


Introdução


Capítulo 1
Uma historicização do fenômeno: conhecendo a onda (brega) funk

1.1 O Brasil no ritmo do funk
1.2 A cena (brega) funk na RMR
1.2.1 Sobre o baile funk na RMR
1.2.2 Sobre o funk brega ou brega funk
1.3 O (brega) funk como prática social
1.4 Funk e mudança social


Capítulo 2
Cantando a realidade: análise crítica do discurso

2.1 A teoria social do discurso segundo Fairclough
2.1.1 A abordagem tridimensional: texto, prática social e prática discursiva
2.1.2 Os significados do discurso: representação, identificação e ação
2.2 Revisitando as noções de discurso, ideologia e poder


Capítulo 3
Significados representacionais no (brega) funk pernambucano

3.1 Interdiscursividade: a articulação de diferentes ordens de discurso

3.2 Representações de atores sociais: formas de referir-se às pessoas
3.3 Nomeação: ideologias e hegemonias nos significados de palavras


Capítulo 4
Significados identificacionais no (brega) funk pernambucano

4.1 Modalidades: o comprometimento do funkeiro no discurso
4.2 Avaliação: o modo como os atores sociais são identificados no (brega) funk
4.3 Metáforas: modos particulares de identificar aspectos do mundo


Capítulo 5

Significados acionais no (brega) funk pernambucano

5.1 O gênero (brega) funk: estrutura genérica e organização social
5.2 Intertextualidade: abertura e fechamento a diferentes vozes no (brega) funk
5.3 Coesão: modos de (re)construção da realidade no (brega) funk


Considerações finais


Referências


Sobre a autora


Índice remissivo