Pimenta-Cultural_Estesia-educacao.jpg
Estesia, educação e design: rumo à Educação Estética

Autores: Humberto Costa, Tania Stoltz

Este livro propõe a Educação Estética como uma possibilidade de lançar novos olhares para o mundo da vida. O seu objetivo é o de contribuir para a educação estética do homem, preparando-o para pensar por si mesmo, integrando o saber sensível e o saber racional. Inspirado em Schiller, esse é um dos caminhos que se mostra profícuo na abordagem de problemas da contemporaneidade.

ISBN:

978-65-5939-037-3 (brochura)
978-65-5939-038-0 (eBook)

DOI: 10.31560/pimentacultural/2021.380

Download gratuito da obra:

Pimenta CulturalAcademia.Edu - Google Books 

CAPITULOS:

PREFÁCIO


1. INTRODUÇÃO
1.1 Organização da obra


2. A DIMENSÃO DA ESTÉTICA
2.1. A ESTÉTICA E SUAS ABORDAGENS
2.1.1. A Abordagem Ontológica da Estética
2.1.2. A Abordagem Semiótica da Estética
2.1.3. Abordagem da Estética pela via da Teoria do conhecimento
2.1.4. O Processo Estético
2.1.5. Abordagem da Estética pela Psicologia
2.1.6. Teoria Integrada ou Homeostase
2.1.7. A Avaliação Estética
2.2. ESTÉTICA E AFETIVIDADE
2.2.1. Emoção e Sentimento: definições
2.3. A RELAÇÃO ENTRE DESIGN E A AFETIVIDADE HUMANA
2.4. DISCUSSÃO


3. SCHILLER E A EDUCAÇÃO ESTÉTICA
3.2. A EDUCAÇÃO ESTÉTICA DO HOMEM

4. A RELAÇÃO ENTRE ESTÉTICA E DESIGN
4.1 DESIGN PARA A EMOÇÃO
4.1.1. Três Abordagens Estéticas Principais no âmbito do Design para a Emoção
4.2. O DESIGN PARA SERVIÇOS

4.3. DISCUSSÃO


5. O CONTEXTO DA PESQUISA REALIZADA

6. SIGNIFICAÇÕES ESTÉTICAS
6.1 OS NÚCLEOS DE SIGNIFICAÇÃO SOBRE ESTÉTICA
6.2 ANÁLISE DOS NÚCLEOS DE SIGNIFICAÇÃO 
6.2.1. A Estética diz respeito à Aparência

6.2.2. A Estética a partir de Categorias Estéticas
6.2.3. A Estética como Conhecimento Sensível
6.2.4. Análise Internúcleos
6.2.5. Outros Significados para Estética Segundo os Respondentes
6.3 A UTILIZAÇÃO DOS SENTIDOS NA AVALIAÇÃO ESTÉTICA DE ESPAÇOS
6.3.1. A percepção estética visceral evocada pela visão
6.3.2 A percepção estética visceral evocada pela audição
6.3.3. A Percepção Estética Visceral Evocada Pelo Olfato
6.3.4. A percepção estética visceral evocada pelo tato
6.4. DISCUSSÃO


7. PRINCÍPIOS NORTEADORES PARA A INTEGRAÇÃO DA EDUCAÇÃO ESTÉTICA EM CURSOS SUPERIORES – PNIEE
7.1. OS PRINCÍPIOS QUE FORMAM O PNIEE

7.1.1. Princípio I – Exercitar a Contemplação
7.1.2. Princípio II – Exercitar a Observação
7.1.3. Princípio III – Exercitar a Afetividade
7.1.4. Princípio IV – Exercitar a Representação
7.2. Considerações sobre os Princípios Norteadores para Integração da Educação Estética – PNIEE


8. CONSIDERAÇÕES


REFERÊNCIAS


SOBRE O AUTOR E A AUTORA


ÍNDICE REMISSIVO